Criolipólise – Saiba mais sobre este procedimento!

Desenvolvida por estudiosos de Harvard, a Criolipólise é um dos métodos não invasivos com maior eficácia na perda de Gordura Localizada.
O aparelho submete a área tratada a uma temperatura negativa (de -5° a -10°), por um período de uma hora, tempo necessário para destruir os adipócitos que se rompem e são eliminados naturalmente pelo organismo via sistema linfático. O processo de eliminação dos adipócitos pode durar até 90 dias após a aplicação local do aparelho.
A sessão de Criolipólise é realizada por aparelhos registrados pela Anvisa, e conta também com uma manta de proteção para a pele, igualmente registrada pela Anvisa.
A área do corpo a ser tratada é submetida a um vácuo, que mantém a prega cutânea acoplada ao aparelho, e ao mesmo tempo o resfriamento local destrói as células de gordura. O resfriamento só atua na gordura local, não atingindo músculo ou outras estruturas próximas.
O tratamento não é indicado para pacientes com obesidade ou sobrepeso, seus melhores resultados aparecem em pacientes com gordura localizada em áreas de difícil perda mesmo para os que praticam exercícios físicos regulares.
O tratamento não causa dor. Pode surgir um desconforto no início da sessão, devido a sucção extrema, e após a retirada do aplicador. Esse desconforto pode permanecer por algumas semanas, mas nada que impossibilite as atividades diárias dos pacientes. Hematomas também podem surgir, caso ocorram, sugiro evitar exposição ao sol até que o hematoma desapareça por completo.
As contra indicações para o tratamento são: pacientes com sensibilidade ao frio, feridas locais, hérnia no local de aplicação, gestantes, e pacientes submetidos a alguma cirurgia nos últimos 6 meses.
Procure sempre profissionais treinados, que utilizem aparelhos registrados pela Anvisa. Certifique-se sempre se as mantas de proteção utilizadas durante a sessão são novas, de preferência retiradas da embalagem somente no momento do atendimento. Recuse produtos em embalagens já violadas. Mantas reutilizadas podem levar ao surgimento de bolhas e queimaduras locais.

Responsáveis pela matéria:
Dra. Elaine Xavier – Fisioterapeuta Dermato Funcional e Dra. Juliana Carnevale Pina – Dermatologia Clínica e Cirúrgica

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *